Como diminuir a taxa de condomínio: 4 dicas para você implantar já!

Como diminuir a taxa de condomínio: 4 dicas para você implantar já!

Fazer a gestão de condomínios não é uma tarefa simples, afinal, envolve o controle de despesas e interesses bem diferentes. Se, de um lado, as pessoas querem pagar uma taxa de condomínio mais baixa, elas também não abrem mão do conforto e até de alguns privilégios.

Nessa hora, o síndico ou administrador precisa encontrar soluções para reduzir gastos, sem afetar a vida dos condôminos. Para ajudar, separamos quatro dicas essenciais e que já podem ser colocadas em prática de imediato, sem a necessidade de grandes mudanças estruturais. Continue lendo e descubra quais são elas!

1. Avalie a aplicação de todos os recursos

Obviamente, a primeira coisa a se fazer é reavaliar todos os custos, bem como a utilização de todos os recursos do condomínio. É importante verificar se os espaços, materiais e os próprios colaboradores estão sendo aproveitados efetivamente.

Assim, devem ser checados detalhes como o gasto de energia elétrica com iluminação, funcionamento dos elevadores etc. Também se deve prestar atenção à frequência com que é feita a limpeza das áreas comuns, além da quantidade de água e produtos de limpeza que são usados.

Por exemplo, já parou para pensar na quantidade de água gasta de forma desnecessária para a limpeza de calçadas?

2. Instale sistemas inteligentes de iluminação

Outro ponto importante é o gasto com energia elétrica. Em muitos edifícios, é possível notar que a iluminação permanece acesa, mesmo quando ninguém está utilizando as áreas comuns, como escadas e corredores. Esse é um custo que pode ser reduzido facilmente.

Podem ser instalados sensores de presença, que acionam a luz logo quando alguém entra no corredor. É preciso ter cuidado apenas para a instalação ser feita de forma correta, pois ela deve ser acionada assim que a pessoa pisa o pé no ambiente. Caso contrário, pode gerar um desconforto para os moradores e até acidentes.

De qualquer forma, os sensores são uma maneira bem mais prática e cômoda de iluminar o ambiente. Eles podem ser instalados com lâmpadas de LED, que são bem mais econômicas e pesam menos na taxa de condomínio.

3. Faça revisões e manutenções regulares

Pode calcular: fica bem mais caro consertar ou trocar equipamentos e peças do que fazer uma manutenção adequada, independentemente do tamanho do seu condomínio. Então, é bom ficar de olho no prazo de verificação de elevadores, extintores de incêndio, bem como da fiação elétrica e do sistema de água e esgoto.

Revisões periódicas custam pouco e podem evitar gastos bem maiores. Além disso, são vitais para a segurança dos condôminos, pois equipamentos velhos e sem manutenção podem causar acidentes.

4. Considere a terceirização de mão de obra

Muitas vezes, é mais eficiente e barato ter colaboradores fixos do que diaristas, sobretudo em edifícios maiores. No entanto, eles não precisam ser necessariamente contratados pelo condomínio.

Ao se terceirizar serviços como recepção, segurança e limpeza, é possível reduzir alguns custos, como encargos trabalhistas. Além disso, é possível contar com um serviço mais especializado e adequado ao tipo de condomínio, seja ele comercial ou residencial.

Para fazer uma gestão financeira eficiente, é necessário fazer muitos cálculos e analisar a viabilidade das mudanças, uma vez que se deve garantir a satisfação dos condôminos. Por isso mesmo, é fundamental saber ouvi-los para entender quais são as prioridades e o que pode ser feito para gerar economia, sem comprometer o funcionamento do condomínio.

Acredita que este post pode ajudar você a reduzir a taxa de condomínio? Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira essas dicas para realizar uma gestão de condomínios eficaz. Temos certeza de que serão de grande ajuda!

Sem comentários

Cancelar